Lábios perfeitos? A matemática diz que sim

boca

Há cálculos que podem ajudar a encontrar a melhor harmonia dos lábios com a face, dentre outras técnicas que podem deixá-los mais bonitos e atraentes.

 

Sem dúvida, a grande inspiração da arte é a beleza, seja de uma paisagem, um objeto, ou até imagens mais complexas, como o corpo humano. Desde que o mundo é mundo, os grandes artistas retrataram com perfeição rostos que até hoje são referências históricas do culto ao belo. E filósofos como Aristóteles também definiam o belo como a tradução da ordem. Por esta razão, o mestre dos mestres, Leonardo Da Vinci, criou a Proporção Divina, também chamada de Proporção Áurea, uma fórmula matemática que calcula as proporções ideais da face. Segundo Da Vinci e sua obra Homem Vitruviano, no homem perfeito, as dimensões obedecem a divina proporção; o umbigo divide a altura do corpo humano em dois segmentos que estão na razão áurea. O ombro, por sua vez, divide a distância entre as extremidades dos dedos (braços abertos) em dois segmentos que estão na mesma razão áurea.

   No rosto não é diferente. O tamanho dos lábios deve estar em conformidade com o equilíbrio de todo o rosto, respeitando a individualidade de cada um. A matemática é tão eficaz para esses casos que, ela tem papel de extrema importância na cirurgia plástica, que explora essa ciência na busca dos melhores resultados e da perfeita harmonia da boca com a face. “A teoria da Proporção Áurea pode ser um excelente guia para atingir o sucesso clínico da estética, sendo um método de simetria dinâmica que diagnostica e direciona o tratamento ao sucesso”, confirma o Cirurgião Plástico e Cosmiatra, Márcio Castan, de Porto Alegre (RS), membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP).

     Segundo a Proporção Áurea, a proporção ideal é de 1 cm para 1,618 cm, sendo essa a relação de equilíbrio e simetria ideais. Ou seja, no caso do rosto, a largura da boca deve ser 1,618 maior do que a largura do nariz. E a largura da boca ideal, por sua vez, deve ser 1,618 maior do que a distância entre seu canto externo e a ponta da bochecha. As proporções entre os lábios também é observada, sendo o lábio inferior maior que o superior.

   O médico também observa que a teoria da Proporção Áurea pode ser aplica em diversas outras especialidades, sobretudo na odontologia, e em outras regiões do corpo. “Para se ter uma ideia, existem proporções entre os dedos e as mãos porque as falanges de cada dedo estão relacionadas em uma proporção perfeita. Na cabeça observamos como a linha dos olhos marca uma divisão áurea no comprimento total da face, e também a linha da boca é uma proporção áurea da distância entre a base do nariz e a extremidade do queixo, comprovando que um corpo esteticamente harmonioso traz relações áureas”, diz Dr. Castan. 

   O cirurgião ainda observa que, embora as medidas matemáticas sejam importantes, nem sempre os cálculos são a melhor maneira para determinar a simetria ideal, afinal, a beleza é subjetiva, e não uma ciência exata. Por isso, o médico também aposta em outros métodos para rejuvenescer os lábios e deixá-los em harmonia com a face. 

Conheça outras dicas para deixar os lábios bonitos:

Hidratação: O fato de usar batom e os lábios estarem geralmente úmidos, pode mascarar a desidratação labial. Então, opte por batons que contenham óleos hidratantes e, principalmente, filtro solar, pois além de deixar a boca bonita, estará protegendo-a de possíveis patologias causadas pelo sol. Lembre-se de usar hidratantes labiais, que devem conter ácido hialurônico, ceramidas e ômegas 3.

Rugas ao redor da boca (chamadas popularmente de código de barras): Elas podem ser tratadas com peelings, tanto químicos quanto abrasivos, ou hidratação intradérmica com ácido hialurônico.  

• Aumento de volume /melhora do contorno/ correção de imperfeições: Pode ser feito tanto com material aloplástico, absorvível (ácido hialurônico) ou não absorvível (polimetacrilato), bem como com gordura remanejada do próprio paciente, adquirida após lipoaspiração, por exemplo. No caso do ácido hialurônico, a duração é de 9 a 12 meses. Dr. Marcio Castan não recomenda a inserção de material não absorvível, porque o número de complicações é muito maior se comparado ao ácido hialurônico.

Redução dos lábios: A redução dos lábios, embora pouco requisitada, também é possível em casos específicos.

Fonte: Dr. Marcio Castan – Cirurgião Plástico – Membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, Pós-graduado em Dermatocosmiatria.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *