DICAS DE INTERCÂMBIO: Conheça as vantagens de fazer o College – curso técnico no exterior

imagem1

Muitos brasileiros estão deixando de planejar o intercâmbio no exterior somente para aprender uma nova língua. Com um mercado de trabalho cada vez mais competitivo, tem se percebido uma maior procura pelo intercâmbio por um público mais maduro – entre 25 e 40 anos –, que enxerga a experiência no exterior como uma oportunidade de se aperfeiçoar na área de atuação. “Esse movimento de mercado casou perfeitamente com os pacotes do tipo college (cursos técnicos de especialização), por se tratar de uma opção mais barata, que não exige total domínio do inglês e que pode ser feita em um período menor de tempo”, explica Cristiano Simões, sócio-diretor da S7 Study, agência de intercâmbio especializada em destinos de língua inglesa.

Ao contrário do que se pode imaginar, a palavra college não é tradução de “colégio”. O college equivale ao que se classifica no Brasil como curso técnico ou especialização, que podem ou não fazer parte de uma universidade. Porém, no exterior esse tipo de curso é muito mais valorizado, possuindo tanta importância quanto uma graduação ou pós-graduação para o mercado de trabalho. Os colleges geralmente são focados por área de atuação, como Negócios, Marketing, Hospitalidade, Comunicação ou Tecnologia da Informação (TI).

Para se ter uma ideia, a venda dos pacotes do tipo college cresceu cerca de 80% na S7 Study nos quatro primeiros meses do ano em comparação ao mesmo período de 2014. A empresa, que possui escritórios em Porto Alegre, Rio de Janeiro e São Paulo e é especialista no atendimento via internet, faturou R$ 22,7 milhões no ano passado. As vendas de pacotes de college representaram 17% desse valor total. “Os clientes brasileiros passaram a enxergar os cursos técnicos no exterior como uma grande oportunidade de dar um salto na carreira e se aperfeiçoar”, diz Fernanda Lassala, gerente de produtos da S7.

A S7 Study possui opções de cursos técnicos em todos os destinos que atende – Estados Unidos, Canadá, Austrália, Irlanda, Inglaterra e Nova Zelândia. Porém, segundo Fernanda, os principais destinos procurados pelos brasileiros são a Austrália e o Canadá. “Depois das alterações nas regras de permanência, o college, a graduação e a pós-graduação são as únicas maneiras dos estudantes estrangeiros conseguirem a permissão para trabalhar no Canadá. Na Austrália, é uma alternativa econômica para quem busca uma certificação”, afirma Fernanda.

Os cursos do tipo college podem durar de três meses a dois anos, mas os mais comuns são os de seis meses e um ano. O perfil do estudante brasileiro que tem procurado a S7 é de jovens entre 25 e 35 anos, que já possui um bom nível de inglês e está em ascensão na carreira profissional, já formado ou próximo de se formar.

Mesmo em um ano de crise na economia brasileira, o mercado de intercâmbio continua aquecido no país, crescendo cerca de 10% a 15% a cada ano, segundo dados da Belta – agência que reúne informações das principais instituições brasileiras que trabalham nas áreas de cursos, estágios e intercâmbio no exterior. Somente nos últimos dez anos, o mercado de educação internacional e de intercâmbio no Brasil cresceu 600%.

Colleges – especificidades de cada país*

*O valor pode variar de acordo com destino, escola e duração do curso.

Austrália – os cursos são chamados de VET (Vocational Education and Training). É necessário visto de estudante e permite ao intercambista trabalhar 40 horas quinzenais. Alguns exemplos de cursos:

– Escola Privada: ILSC Sidney – Diploma of Marketing and Business – duração de um ano, com valor aproximado de R$ 18.750,00.

– Escola do Governo: Holmesglen – Diploma of International Business – duração de seis meses, com valor aproximado de R$ 29.500,00.

Canadá – a instituição é chamada de college e há os colleges públicos e os privados. É necessário visto de estudante e permite trabalhar 20 horas por semana. Exemplos de cursos:

– College privado: Canadian College – Business of Management Certificate – duração de um ano, com custo aproximado de R$ 21.500,00.

– College público: Seneca College – Diploma of Business – duração de dois anos, com custo de R$ 37.700,00 (por ano).

Estados Unidos – é necessário o visto de estudante e não há permissão para trabalhar durante o curso.

Inglaterra – nos cursos com duração de seis meses ou menos o visto é concedido na chegada ao país, mediante apresentação dos documentos de confirmação de matrícula. Não há permissão para trabalhar durante o período do curso.

Irlanda – é necessário visto de estudante e a matrícula no curso dá permissão para se trabalhar 20 horas por semana durante as aulas.

Nova Zelândia – a instituição é conhecida como politécnica. Há também algumas escolas de inglês que oferecem cursos semelhantes e com valor inferior. Em uma politécnica o Diploma in Business com duração de um ano custa aproximadamente R$ 38.500,00. Já em uma escola de inglês o mesmo curso sai por R$ 22 mil, com a mesma duração. É necessário visto de estudante e há permissão para trabalhar 20 horas semanais.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *